Filme: Azul é a cor mais quente

18 agosto


Olha, fazia meses que eu queria assistir esse filme. Quando lançou eu queria ir ao cinema, mas nunca dava certo (incrível como depois que eu me mudei pra São Paulo ir ao cinema ficou mil vezes mais difícil, vai entender), ai saiu do cinema e eu fui correndo procurar pra baixar na internet mas só tinham versões com qualidades horrorosas e eu não sou obrigada. Então, com toda a paciência do mundo, eu esperei meu querido NetFlix liberar e corri assistir.
Outro fato incrível é como eu estou mais aberta a filmes de drama ultimamente, afinal já falei mais de quinhentas vezes aqui no blog sobre como eu odeio esse gênero - já tem tantas coisas infelizes e erradas no mundo e eu ainda vou ficar procurando mais historias tristes no meu tempo livre? Por isso amo animações, comédia, aventura e essas coisas bobas. Mas, como mais um milhão de coisas, aos poucos o senhor Henrique foi conseguindo mudar mais uma coisa na minha vida, e eu me tornei mais receptiva a esse tipo de filme, mas de forma restrita: não me venham falar de filmes de cachorro que perde o dono e fica esperando ele voltar eternamente, ou de cachorro que morre, ou de qualquer animal que sofra, ou ainda de casos de amores trágicos, daqueles que a gente tem que assistir com uma caixa de lenços do lado e mil lagrimas rolando, e não, eu não fui e não vou ver "A Culpa é das Estrelas", me recuso, pois sei que eu morreria desidratada.
Então eu só assisto a filmes de drama que irão acrescentar algo na minha vida, quebrar um preconceito meu (vulgo Ninfomaníaca), me fazer ser uma pessoa melhor ou ver outros pontos de vista. Sem lágrimas. E o filme "Azul é a cor mais quente" conseguiu fazer isso lindamente e entrou pra minha lista de preferidos. Como vocês já devem estar de saco cheio desse texto corrido, resolvi listar os motivos:


1. É um filme frances. Não que eu seja fã desses filmes, mas é algo que foge daquela coisa hollywoodiana/comum/que estamos cansados de ver, as musicas, as cenas, os tipos de filmagem, a atuação e comportamento dos atores e várias outras coisas são super diferentes e bem curiosas. Sempre que eu assisto filmes de outros países eu acabo conhecendo várias coisas legais da cultura de lá que eu ainda não sabia, e esse me mostrou muito sobre os franceses.
2.  Trata de um assunto polêmico, até porque o preconceito contra homossexuais ainda é bem forte, principalmente nesse nosso país maravilhoso que transborda igualdade, só que não. A história é sobre o amor de duas meninas, mas ele aparece de forma tão natural e real no filme que você esquece que são duas garotas, e o que prevalece mesmo é o fato do "amor" em si e da conexão entre elas desde o primeiro momento em que se encontram. Eu sempre tive uma cabeça bem aberta em relação a isso e acho que abriu ainda mais depois que eu assisti, afinal, cara, se duas pessoas se amam e querem ficar juntas, não importa o sexo delas, e sim a coisa maravilhosa que elas transformam e vivem, fim.
3. Eu sempre tive muito mais amigos gays do que amigas lésbicas, não por um motivo especifico, mas sempre foi assim. Então eu sempre apoiei eles, mas nunca tinha tido um contato maior com como duas mulheres se relacionam e o filme é um verdadeiro cama surta, haha. As cenas de sexo entre as duas são incrivelmente longas, mas isso reforça e ilustra ainda mais a conexão que elas tem.
4. A cor azul não esta só no cabelo da Emma e não da o nome ao filme apenas porque quando a Adèle a vê pela primeira vez acontece toda a trama, mas sim porque significa uma passagem na vida das duas, e você entende isso perfeitamente na ultima cena do filme.
5. O final, como qualquer drama, é trágico, mas surpreendemente justo. E pra eu concordar com um final triste, pode ter certeza de que ele é explicitamente compreensível, sério. HAHAHA, eu sempre passo dias encanada com o final de filmes de drama, mas esse foi bem mais fácil de digerir, o que ajudou a entrar pra lista dos meus filmes preferidos da vida 

You Might Also Like

4 comentários

  1. Eu sou ao contrario fer, amo drama haha mas não dos que moreem cachorros, gosto de dramas com inteligencia politica ou emocional, e meu preferidos: os franceses e alemães :)) Esse é demais!! :)
    xx
    Tali

    ResponderExcluir
  2. Filme fracês > all HAHAHAH, sério, sou apaixonada por filmes franceses, eles sempre soam mais naturais e mais realistas que os outros. Azul é a cor mais quente é um filme lindo e realista.
    Eu realmente adorei também (: Uma dica, assista "E se vivêssemos todos juntos?" É um ótimo filme francês! hehe
    Beijos (:

    Lovely Utopia

    ResponderExcluir
  3. Também adorei esse filme, mas achei que o final deixou á desejar, e o autor poderia ter cortado algumas cenas, até fiz uma resenha do filme no meu blog, se quiser dar uma olhada:
    http://lecry.blogspot.com.br/2014/03/resenha-azul-e-cor-mais-quente.html

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ♥